Geraldo Azevedo faz show marcante em Jequié e alerta para a crise da água – Domingos Ailton

10 após ter realizado apresentação em Jequié, o cantor e compositor Geraldo Azevedo voltou a cantar na Cidade Sol em um show marcante na noite do dia 11 de junho no Centro de Cultura de Jequié, numa promoção de Artur Produção.
Com um tom romântico, Geraldo Azevedo entoou novas e antigas canções. O show de voz e violão foi acrescido também de coro como brincou o compositor pernambucano ao se referi a “ parceria” do público presente, que cantava trechos de músicas consagradas do seu repertório como Quando fevereiro chegar, Dia Branco, Ai, que saudades d’ocê, Você Se Lembra e Sabor colorido e Caravana. Geraldo Azevedo cantou também músicas que revelam a vida catingueira como ABC do Sertão e outras que foram trilha sonora de telenovelas, a exemplo de Moça Bonita, que embalou a novela Terras Sem Fim. da TV Globo.

Consciência ecológica em relação às águas
No meio do show, Geraldo Azevedo fez uma reflexão sobre a importância da água, alertou sobre o desperdício e a poluição do precioso líquido e falou sobre os impactos ambientais da destruição da vegetação ciliar para os mananciais.
“Nenhum bicho estraga a água “ lembrou Geraldo Azevedo ao ressaltar que os homens estão poluindo os rios. O cantor pernambucano destacou que conflitos serão cada vez maiores neste século por conta água, revelando que navios da China que chegam ao Brasil trazendo mercadorias retornam para o país de origem carregando tonéis de água doce e que multinacionais estão adquirindo grandes áreas contendo água mineral em diversas partes do Brasil, uma vez que sabem do valor dessas áreas..
Geraldo Azevedo cantou músicas que falam do Rio São Francisco como Ciúme, de Caetano Veloso e Petrolina – Juazeiro, de Jorge De Altinho.

“O Rio São Francisco é a veia da minha vida”, afirmou Geraldo Azevedo.” em entrevista que nos concedeu no camarim do Centro de Cultura de Jequié, onde lembrou ter nascido e crescido às margens do Velho Chico em Petrolina, interior pernambucano e que ao percorrer cidades cortados pelo rio viu o estado deplorável do manancial como em Penedo, Alagoas, que chegou tal ponto da diminuição de fluxo de água do rio que as pessoas caminhavam sobre seu leito. Desde 2010 o cantor pernambucano começou um movimento em defesa do Rio São Francisco e gravou um CD com artistas de estados onde o Velho Chico atravessa, a exemplo de Ivete Sangalo e Maria Betânia e a cada show que realiza para alguns minutos de cantar para falar sobre a água. Em sua opinião a consciência das pessoas é anda muito pequena em relação a crise hídrica, por isso ele mostra que “as pessoas podem nadar, nadar e morrer na praia”, já que embora tenha água no mar, o líquido é salgado. Ele dá orientação de noções básicas para evitar o desperdício de água no cotidiano. Na conversa que tivemos,ele tomou conhecimento da luta em defesa da recuperação do Rio das Contas empreendida pelo Grupo Ecológico Rio das Contas – GERC e prometeu que em um próximo show em Jequié falará também da importância do nosso rio.
Na entrevista Geraldo Azevedo disse que se sente muito feliz ao chegar aos 70 anos de idade e ver diferentes gerações cantando suas músicas, desde pessoas da terceira idade, que viveram o período de surgimento de sua carreira na década de 60, durante os anos de chumbo da ditadura militar, passando por jovens e até crianças. “Isso significa que mesmo depois de minha partida, minhas músicas vão durar décadas, séculos e milênios” , profetizou o autor de O Princípio do Prazer com a noção exata da dimensão de suas canções.
Bolo e parabéns para os 70 anos de nascimento

Ao final do show, o produtor Artur Pires fez uma surpresa ao entrar com um bolo para comemorar 70- anos de vida de Geraldo Azevedo. . O público entusiasmado, cantou o “Parabéns pra você. O cantor nasceu dia 11 de janeiro de 1945, mas ele mesmo informou que data na exata do aniversário não festejou, mas está comemorando durante todo este ano de 2015.
“Dizem que 7 é a idade da razão. Então eu tenho dez razões para comemorar”, brincou Geraldo Azevedo.

Geraldo Azevedo faz show marcante em Jequié e alerta para a crise da água Domingos Ailton

Deputados e sociedade civil defendem pagamento por serviços ambientais

A Frente Parlamentar Ambientalista reuniu, quarta-feira (8), na Câmara dos Deputados, parlamentares e representantes de organizações da sociedade civil para debater o pagamento por serviços ambientais (PSA).
A mesa do encontro, presidida pelo diretor de políticas públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani, foi composta por Aldem Boursheit, especialista da superintendência de políticas públicas da WWF-Brasil, Rubens Born, do Fórum Brasileiro de ONGs, e pelos deputados Nilto Tatto (PT-SP), Arnaldo Jardim (PPS-SP) e Evair de Melo (PV-ES).
O deputado Nilto Tatto abriu o evento afirmando que o país precisa avançar para que haja uma compensação para aqueles que preservam o meio ambiente. Ele lembrou que as áreas preservadas não são utilizadas para a exploração agropecuária, o que onera seus proprietários. “Os agricultores que preservam estão deixando de ganhar, enquanto os que desmatam estão ganhando”, afirmou o deputado.
Atualmente secretário de agricultura e abastecimento do estado de São Paulo, o deputado Arnaldo Jardim foi relator do PL 792/2007, de autoria do deputado Anselmo de Jesus (PT-RO), e apresentou um substitutivo ao projeto. A proposta encontra-se hoje em fase de apreciação pela Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara. O parlamentar destacou o processo de elaboração do substitutivo, que foi de convergência e agregação, mesmo ocorrendo em um momento duro da luta ambiental, durante as discussões do Código Florestal. Fruto de debates aprofundados com os mais diversos setores da sociedade, o projeto evoluiu para abranger aspectos como conservação da água e do solo, polinização, turismo, entre muitos outros.
Jardim explicou que em vários estados e municípios há diferentes formas de pagamento por serviços ambientais, e que é preciso assimilar as boas experiências. Referiu-se, também, à necessidade de estabelecer as fontes de recursos para os pagamentos, citando a cobrança pelo uso da água e o Imposto de Renda ecológico, sobre o qual há um projeto em tramitação no Congresso. “A legislação ambiental brasileira é altamente complexa, mas ainda faltam instrumentos para estimular as boas práticas”, avaliou o deputado.
Aldem Boursheit disse que a pauta em discussão tem uma relação direta com preservação ambiental, equilíbrio climático e saúde pública. Ele defendeu o cadastro de PSA para que se tenha uma expertise, um apanhado das melhores experiências. O WWF-Brasil, em conjunto com diversas outras entidades, elaborou e publicou um relatório de Diretrizes para a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais. Na opinião do especialista, o substitutivo do deputado Arnaldo Jardim deve ser apoiado. “É fundamental que os avanços que o PL 792 conseguiu sejam valorizados, para que a gente chegue ao melhor resultado possível”, afirmou.
Rubens Born apresentou à Frente Ambientalista a Matriz PSA Brasil. O ambientalista explicou que o PSA é “um gênero, que tem várias espécies”. A matriz, que será lançada no final de maio, é um instrumento que permite uma visão panorâmica das várias experiências, avaliando provedores, usuários, desafios e resultados. Tem como objetivo, junto com outros instrumentos, alavancar o PSA no Brasil. “Precisamos, de fato, de um marco legal que crie uma harmonia federativa para a aplicação de PSA”, ponderou Born.
O deputado Evair de Melo foi designado, na Comissão de Agricultura, relator do PL 312 / 2015, de autoria do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que também trata de política nacional de pagamento por serviços ambientais. Ele dispôs-se a conhecer a experiência acumulada ao longo do percurso do PL 792 e defendeu que os dois projetos sejam apreciados de modo unificado. “Precisamos de um acordo, para dar celeridade à tramitação”, concluiu.
Fonte: Comunicação Lid-PV
Foto: Paula Laport / Lid-PV

Caravana chega a Salvador

ministro Juca Ferreira e secretários do Ministério participam em Salvador (BA) de encontros com artistas, gestores, produtores e fazedores de Cultura, na segunda (13/4) e terça-feira (14/4) da próxima semana.

Trata-se da terceira edição da Caravana da Cultura, que fez sua primeira viagem à região do Cariri e a Fortaleza, no Ceará, nos dias 9 e 10 de março; e a segunda, a São Luiz, no Maranhão, em 25 e 26 de março.

Na segunda-feira, o primeiro compromisso do ministro Juca Ferreira em Salvador é um encontro com o governador da Bahia, Rui Costa. Em seguida, o ministro cumpre programação que inclui visita ao terreiro Ilê Opô Afonjá e conversa com a Mãe Stella de Oxossi. Além de ter publicado oito livros, ela ocupa a cadeira 33 da Academia de Letras da Bahia e é responsável por criar biblioteca itinerante em ônibus adaptado para levar ensinamentos religiosas e aproximar as pessoas.

O ministro também fará uma visita ao Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira e, à noite, assistirá a apresentação do Festival Internacional Vivadança. Criado em 2007, em Salvador, com nome de Mês da Dança no Vila, no Teatro Vila Velha, o Vivadança ampliou seu formato e tornou-se internacional. Em quase uma década, teve sua trajetória marcada por fatos importantes, como a criação da Mostra Casa Aberta, Mostra Hip Hop e do Prêmio Vivadança.

Debate interativo
Antes da chegada do ministro, secretários do MinC debaterão na segunda-feira a participação social no ministério com especialistas, representantes de Pontos de Cultura e público virtual. O tema da discussão será a criação do Gabinete Digital, o planejamento e a estruturação do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) e a definição de um novo modelo de Conferência Nacional de Cultura.

Participam da discussão os secretários de Articulação Institucional, Vinícius Wu; de Fomento e Incentivo à Cultura, Carlos Paiva; e do Audiovisual, Pola Ribeiro, do Ministério da Cultura; os professores Wilson Gomes e Ernani Coelho Neto, da Universidade Federal da Bahia; a coordenadora pedagógica do Ponto de Cultura Bankoma, Eliana Sousa; e a representante do Ponto de Cultura Odu Odara, Maria Fulgência.

O debate ocorrerá o Teatro do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia, das 10h às 12h, e será transmitido ao vivo pela página eletrônica do MinC. As pessoas que estiverem acompanhando poderão fazer perguntas pela Internet.

Roda de Conversa
Na terça feira pela manhã, o ministro participa de uma Roda de Conversa com gestores e produtores culturais no Teatro Vila Velha. Além disso, visitará o teatro Castro Alves, um dos principais centros culturais do estado, e o Centro de Atendimento ao Turismo, no Pelourinho.

Participe do Debate interativo
Data: 13/4/2015
Local: Teatro do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB)
Endereço: Rua Pedro Gama, 413/E, Federação.
Horário: 10h às 12h

Revista COTOXÓ registra 30 anos da Axé Music

A Revista COTOXÓ foi o único veículo de comunicação de Jequié que mais uma vez cobriu o Carnaval de Salvador. O repórter Domingos Ailton fez uma ampla reportagem da folia baiana e dos 30 anos da Axé Music. A publicação do mês de fevereiro tem também artigos relacionados aos 30 anos da Axé Music como de autoria do jornalista César Rasec (parceiro de Luiz Caldas), que forneceu informações importantes sobre esse movimento musical.

Novo diretor da Fundação Pedro Calmon toma posse nesta segunda (9)

Novo diretor da Fundação Pedro Calmon toma posse nesta segunda (9)

Nesta segunda-feira (9), às 10h, Zulu Araújo tomará posse como novo diretor geral da Fundação Pedro Calmon, vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). A solenidade – aberta ao público – acontecerá na Sala Walter da Silveira (Biblioteca Pública do Estado), nos Barris, e reunirá gestores públicos, dirigentes, lideranças de movimentos sociais e público ligado às áreas de atuação da Fundação, como Bibliotecas, Livro e Leitura, Memória e Arquivo Público. O secretário de Cultura do estado, Jorge Portugal, estará presente.

Nomeado pelo governador, Rui Costa, no dia 27 de fevereiro, Zulu assume o cargo que foi ocupado até então pela produtora cultural, Fátima Fróes. Em sua trajetória destaca-se um vasto currículo na promoção, pesquisa e divulgação da cultura brasileira, experiência adquirida na gestão de diversos eventos culturais no Brasil e no exterior, entre os anos de 2003 a 2007. Deste último até 2010, Zulu Araújo presidiu a Fundação Cultural Palmares (2007-2010), que é ligada ao Ministério da Cultura. Entre 2011 e 2012 foi diretor da Casa da Cultura da América Latina, na Universidade de Brasília (UnB).

Para o novo diretor geral a prioridade será consolidar a Fundação em meio à sociedade baiana enquanto instituição forte e próxima dos cidadãos. “Trabalharemos com afinco na perspectiva de ampliar o acesso do público às políticas de valorização da leitura, a acervos raros e de valor inestimável para a memória e história da Bahia e pelo fortalecimento das Bibliotecas Públicas em todo estado”, frisou Zulu.

Perfil – Zulu Araújo é natural de Salvador e também formado em arquitetura pela Universidade Federal da Bahia. Foi diretor de Cultura e Conselheiro do Grupo Cultural Olodum durante 10 anos, administrador e coordenador cultural da Praça do Reggae, assessor do Grupo Cultural Malê, assessor especial da Secretaria de Cultura da Bahia e da Fundação Cultural do Estado, entre outros cargos. Em 1995, atuou como coordenador-geral da celebração dos 300 anos de Zumbi dos Palmares.
Fonte: Ascom da Fundação Pedro Calmon

Jonas Carvalho lança CD de samba

3. O compositor e cantor Jonas Carvalho, que lança o CD de samba Cultura Popular – Paneleira, dia 7 de março em Lafaiete Coutinho, que representa uma homenagem a tradicional paneleira Maria do Carmo do Povoado do Morro, município de Lafaiete Coutinho e a todas as peneleiras do Brasil. O lançamento conta com apresentação do Grupo de Samba Etc e Tal, da cantora Lu Brandão e do ator João Gomes.

Escritores de Brasília inspiram desfile de moda em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

O grupo Mulheres de Sucesso e a Livraria Cultura realizam, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o projeto Vestindo Cultura, que acontecerá no dia 5 de março (quinta-feira), das 17 às 21 horas, na Livraria Cultura CasaPark, com desfile temático de moda baseado em trabalhos de escritores de Brasília; exposição de 25 fotos das Mulheres de Sucesso, pela fotógrafa Raquel Cândida; talk show; e coquetel. O projeto é coordenado por Beatriz Schwab, diretora doInstituto Chamaeleon.

Os figurinos utilizados no desfile serão baseados em livros de gêneros variados, de autores que vivem em Brasília, selecionados pelo professor de literatura, produtor cultural e agente literário Andrey do Amaral. Os escritores estarão autografando seus livros durante o evento.

Os livros e autores são os seguintes: A Assembleia dos Bichos, de Simão de Miranda; A Colheita Final – Revelação Tenebrosa, de Antonio Pinto Ferrraz (audiolivro); Alice no Fundo do Mar, de Vanessa Labarrere;Interior Vermelho, de Vanessa Labarrere (audiolivro); Nas Bordaduras de um Botão, de Karla Calasans; O Sumiço do Coleirinha, de Edson Duarte; Pense Grande, de Alex Bonifácio; Um Soco na Alma, de Beatriz Schwab e Wilza Meireles; Mulheres Apaixonadas, de Gracia Catanhede;Meu primeiro dia de aula, de Rafa Alvarenga; e Na Boca do Jacaré-Açu – A Amazônia Como Ela É, de Ray Cunha.

Fonte: Revista BIZZU BRASIL

Lançamento do livro sobre Jequié

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, e a comissão organizadora do livro Jequié – Sol, histórias e encantos, convidam para o lançamento da obra no sábado, 7 de março, às 18h no Buffet Marlene Marinho, que fica na Avenida Landulfo Caribé.
O livro conta com textos de 56 coautores, que se reportam a diversos fatos ocorridos em Jequié ao longo do tempo de sua história.

Carta Compromisso – 43 Pontos Programáticos – Eleições 2014

Os VERDES baianos, através da Executiva Estadual, consultando as bases partidárias municipais e conselheiros, definiram os 43 motivos para o estabelecimento do apoio à candidatura do geólogo e professor, ex-governador e senador Paulo Souto ao Governo do Estado da Bahia no período 2015/2018.

Os 43 itens que se seguem obedecem aos princípios e valores inerentes ao Partido Verde, às diretrizes estabelecidas pelas Metas do Milênio, do Programa Cidades Sustentáveis e da Agenda 21. Este documento pretende ser um conjunto de propostas consistentes e factíveis com foco no desenvolvimento sustentável da Bahia para os próximos anos. Ele contém premissas de um programa estratégico de justiça e equidade social aliadas à conservação, para preservação e proteção do meio ambiente, e responsabilidade na geração e tratamento de resíduos.

Nessa formulação de políticas públicas foram abordadas questões voltadas para a saúde dos ecossistemas, da diversidade biológica e dos processos sociais, ambientais e socioambientais em nosso território. Esta Carta Compromisso, construída a partir de contribuições da militância verde e de atores da sociedade baiana, constitui-se documento fundamental na defi nição da aliança, com o objetivo de melhorar as condições de vida no nosso estado, a partir de uma ótica voltada para
o futuro, construindo pontes com democracia, transparência, metas e prazos, em uma gestão modernizadora e sintonizada com o momento planetário de mobilização por uma outra forma de desenvolvimento, que passa por uma nova forma de governar.
43 COMPROMISSOS:

1. PROFISSIONALIZAR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COM ÊNFASE NA CARREIRA DE
GESTOR PÚBLICO E O FIM DO LOTEAMENTO PARTIDÁRIO DOS CARGOS PÚBLICOS.

2. TRABALHAR COM BASE EM METAS E INDICADORES EM TODOS OS SETORES DE ATUAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO. ESTABELECER PRÁTICA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA COM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.

3. DESENVOLVER, ESTRUTURAR E CONSOLIDAR OS SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA PARA RESGATAR A BAHIA COMO UM GRANDE POLO DE PRODUTOS E SERVIÇOS QUE TENHAM A CRIATIVIDADE E A INOVAÇÃO COMO MATÉRIA-PRIMA.

4. APROFUNDAR A PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA E FAZER DO PROCESSO PARTICIPATIVO UMA OPORTUNIDADE DE DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA POLÍTICA E DOS VALORES DEMOCRÁTICOS, DANDO PROTAGONISMO AOS ATORES SOCIAIS DE MOBILIZAÇÃO.

5. TRANSPARÊNCIA E LIVRE ACESSO À INFORMAÇÃO DAS AÇÕES DE GOVERNO EM
TEMPO REAL E SEM SENHA.

6. INTOLERÂNCIA COM A CORRUPÇÃO, COM AMPLA, CONTÍNUA E IRRESTRITA AÇÃO
DE COMBATE AO MAU USO DOS RECURSOS PÚBLICOS EM TODOS OS NÍVEIS DA
ADMINISTRAÇÃO.

7. ESTIMULAR E INCENTIVAR EMPREENDIMENTOS AGRÍCOLAS QUE TENHAM COMO BASE A AGROECOLOGIA E A AGRICULTURA SUSTENTÁVEL.

8. ESTIMULAR O AUMENTO DA PRODUTIVIDADE NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS, POR
MEIO DO USO DE NOVAS E APROPRIADAS TECNOLOGIAS, DIMINUINDO A PRESSÃO
PELO DESMATAMENTO DE ÁREAS DE VEGETAÇÃO NATIVA.

9. POTENCIALIZAR E CRIAR INCENTIVOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS
PRODUTIVAS DE PRODUTOS E SERVIÇOS SUSTENTÁVEIS.

10. IMPLANTAR POLÍTICA ESTADUAL DE PLANEJAMENTO URBANO PARA AS REGIÕES
METROPOLITANAS E GRANDES E MÉDIOS POLOS URBANOS DO INTERIOR DO ESTADO.

11. DESENVOLVER PLANO DE COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E INCENTIVAR, EM CONJUNTO COM OS MUNICÍPIOS BAIANOS, O SUBSÍDIO DAS POLÍTICAS DE COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS.

12. FORTALECER A RELAÇÃO ESTADO-MUNICÍPIOS, ESTRUTURANDO APOIO TÉCNICO
CONTINUADO E PERMANENTE, SOBRETUDO AOS MUNICÍPIOS DE PEQUENO PORTE.

13. FORTALECER OS CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS COM FOCO NA MELHOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS, ESPECIALMENTE NAS ÁREAS DE EDUCAÇÃO, SAÚDE E RESÍDUOS SÓLIDOS.

14. INCLUSÃO DE CONTEÚDOS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE NO
CURRICULUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO.

15. IMPLANTAR ESTRATÉGIAS ESTADUAIS PARA O DIAGNÓSTICO PERMANENTE PARA ELEVAÇÃO DOS NÍVEIS DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL NOS MUNICÍPIOS BAIANOS.

16. ÊNFASE NO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO MÉDIO.

17. GARANTIR O ENSINO E A VALORIZAÇÃO DA HISTÓRIA E CULTURA AFRICANAS E DOS POVOS INDÍGENAS NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO.

18. IMPLEMENTAÇÃO DE UMA POLÍTICA ESTADUAL DE INCENTIVO AO USO DE BICICLETAS, COM ESTÍMULO À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO, E IMPLANTAÇÃO DE CICLOVIAS E CICLOFAIXAS EM TODO O ESTADO.

19. ESTRUTURAR ROTAS ESTADUAIS DE ECOTURISMO E TURISMO SUSTENTÁVEL
QUE PERMITAM A CONVIVÊNCIA DOS TURISTAS COM AS POPULAÇÕES LOCAIS,
PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE, AS RIQUEZAS CULTURAIS E A DIVERSIDADE
BIOLÓGICA DAS DIVERSAS REGIÕES.

20. CONSOLIDAR E AMPLIAR POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A JUVENTUDE PARA QUE ATUEM NO DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES ADEQUADAS PARA O CONTEXTO ATUAL.

21. PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL E COMBATE AO RACISMO INSTITUCIONAL.22. DIAGNÓSTICO COM VISTAS À PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA NO
ESTADO DA BAHIA.

23. RESPEITO A TODAS AS FORMAS DE DIVERSIDADE, CRIANDO CONDIÇÕES PARA
EXPANSÃO TRANSVERSAL DAS POLÍTICAS PELO ESTADO.

24. ESTÍMULAR O USO DE NOVAS E ALTERNATIVAS TERAPIAS NA REDE ESTADUAL DE
ASSISTÊNCIA À SAÚDE.

25. ÊNFASE EM AÇÕES PREVENTIVAS EM ATENÇÃO À SAÚDE, COM UNIVERSALIZAÇÃO
DOS PROGRAMAS DE PREVENÇÃO.

26. INCENTIVO À IMPLANTAÇÃO DE UMA GRANDE REDE DE TELESSAÚDE PARA
DIAGNÓSTICO À DISTÂNCIA VISANDO À AGILIDADE E RACIONALIZAÇÃO NO
ATENDIMENTO.

27. DESBUROCRATIZAR E MODERNIZAR AS ATIVIDADES DE REGULAÇÃO EM SAÚDE,
DESCENTRALIZANDO, HUMANIZANDO E RACIONALIZANDO A OFERTA DE LEITOS
HOSPITALARES.

28. AFIRMAÇÃO DE UMA POLÍTICA EFETIVA DE INCLUSÃO PARA PACIENTES PORTADORES DE DEFICIÊNCIAS NO ATENDIMENTO NA REDE DE SAÚDE ESTADUAL.
29. IMPLANTAR POLÍTICA DE RECUPERAÇÃO E PRESERVAÇÃO DAS NASCENTES E
REVITALIZAÇÃO DOS RIOS DO ESTADO;

30. DESENVOLVER O PLANO ESTADUAL DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS,
CRIANDO DIRETRIZES E INCENTIVOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS
ESTRUTURADOS EM ÂMBITO MUNICIPAL.

31. FOMENTAR A INCLUSÃO ECONÔMICA DOS “CATADORES” E COOPERATIVAS DE
RECICLAGEM.

32. ESTIMULAR A PRÁTICA DE ESPORTES E INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ESPORTIVOS, PRIORIZANDO BAIRROS PERIFÉRICOS, EM PARCERIAS COM A INICIATIVA PRIVADA E GOVERNOS MUNICIPAIS E FEDERAL.

33. REALIZAR CALENDÁRIO ANUAL DE JOGOS E OLIMPÍADAS ESTADUAIS AMADORES, INCLUINDO AS PESSOAS DA 3ª IDADE E OS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA.

34. CONSOLIDAR A GESTÃO DOS PARQUES ESTADUAIS E AMPLIAR O NÚMERO DE
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS.

35. ESTABELECER CRITÉRIOS DE DESEMPENHO AMBIENTAL NAS AQUISIÇÕES E
CONTRATAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

36. BUSCAR A AMPLIAÇÃO DA PARTICIPAÇÃO FEMININA NOS CARGOS DE 1º E 2º ESCALÃO.

37. AMPLIAR O NÚMERO DE CENTROS DE REFERÊNCIA E ATENÇÃO ÀS MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA.

38. IMPLEMENTAR POLÍTICA ESTADUAL DE ATENÇÃO AOS ANIMAIS, QUE INSTALE
EQUIPAMENTOS PÚBLICOS DE SOCORRO À SAÚDE DA POPULAÇÃO ANIMAL.39. CRIAÇÃO DE CENTROS DE CASTRAÇÃO HUMANITÁRIA (FIXOS E MÓVEIS) DE ANIMAIS
DOMÉSTICOS.

40. GARANTIR POLÍTICAS DE MANUTENÇÃO E AMPLIAÇÃO DOS DIREITOS DA MULHER.

41. GARANTIR QUE O MANEJO DE ECOSSISTEMAS FRÁGEIS, A LUTA CONTRA A
DESERTIFICAÇÃO, A CONVIVÊNCIA E O COMBATE PREVENTIVO AOS EFEITOS DA SECA E A ATENÇÃO À PRESERVAÇÃO DO BIOMA CAATINGA SEJAM PILARES DA POLÍTICA AMBIENTAL ESTADUAL.

42. VALORIZAR E DAR PROTAGONISMO AO CEPRAM NAS POLÍTICAS AMBIENTAIS DO
GOVERNO DA BAHIA.

43. CAMPANHA VERDE, LIMPA E SUSTENTÁVEL. COMPROMISSO QUE A CAMPANHA DESTE ANO SE PAUTE NOS SEGUINTES ASPECTOS:

43.1. DEBATE DE PROPOSTAS – PAUTAR O PERÍODO DE CAMPANHA PELO DEBATE
DE IDEIAS E PROPOSTAS SOBRE A BAHIA, EVITANDO FACTOIDES, EMBATES
VAZIOS E CONSENSOS OCOS.

43.2. TRANSPARÊNCIA NA ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS –
PUBLICIZAR TODO O PROCESSO DE ARRECADAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE
RECURSOS DE CAMPANHA NA INTERNET, OBSERVANDO RIGOROSAMENTE AS
DETERMINAÇÕES DA JUSTIÇA ELEITORAL.

43.3. NEUTRALIZAÇÃO DAS EMISSÕES DE CARBONO – AS EMISSÕES DERIVADAS DAS
VIAGENS DE CAMPANHA SERÃO CONTABILIZADAS E PARCIAL OU TOTALMENTE
NEUTRALIZADAS POR AÇÕES DE REFLORESTAMENTO NOS DIVERSOS BIOMAS
LOCALIZADOS NO ESTADO DA BAHIA.

43.4. COMPARACER A TODOS OS DEBATES POSSÍVEIS – PARTICIPAR DE TODOS OS
FORUNS DE DISCUSSÃO E DEBATES PROMOVIDOS DURANTE A CAMPANHA
NÃO PRATICAR QUALQUER ATAQUE PESSOAL – NENHUMA OFENSA PESSOAL
SERÁ DIRIGIDA A QUALQUER CANDIDATO OU QUALQUER OUTRA FORMA DE
VIOLAÇÃO DA PRIVACIDADE E DOS MARCOS DO ESTADO DE DIREITO.
COMPROMISSO PÚBLICO
Declaro concordância com os 43 pontos programáticos elencados neste compromisso e os
terei como itens no desenvolvimento de políticas públicas e programas durante minha gestão.
Salvador – Bahia, 05 de junho de 2014.
_____________________________________
Paulo Ganem Souto